Catando Espigas - CBBN

+55 11 5543-4122

contato@cbbn.org.br

    +55 11 5543-4122

ARTIGOS

Catando Espigas

Rute sai para trabalhar catando espigas que os outros deixavam cair.

    De acordo com a lei mosaica o segador não poderia voltar atrás para pegar o que havia caído.

    Mas ali estava Rute, moabita, pobre, que precisa recorrer aos campos de Boaz para ter o sustento para si e para sua sogra. Uma nora que por amar tanto, prometeu cuidar ao ponto de se sacrificar catando espigas.

    Rute depois de ficar viúva, não quis voltar para sua terra e tentar encontrar outro marido, resolveu seguir sua sogra e ir para uma terra estrangeira.

    Que difícil deve ter sido catar espigas dia após dia. Que dor nas costas! Será que ela sentiu vergonha? Creio que não. Muitos sentiriam vergonha, ou acharia que seria uma humilhação.

    Mas vemos aqui uma mulher fiel, leal, com um coração disposto a servir.

    Lembro-me de ouvir um testemunho de uma querida missionária, dizendo que, assim que ela chegou à aldeia com seu marido e com uma filha pequena, o pouco de comida que tinha havia acabado. Ficou pensando em como pedir comida para os índios se não sabia falar no idioma Deni, mas não tinha outra maneira, resolveu ir e fazer alguns gestos para se fazer entender que estava com fome.

    Foi então que uma índia, que através de gestos convidou-a para ir com ela à roça. A índia mostrou onde estava a macaxeira e pediu que ela se abaixasse e arrancasse a sua comida. Ela se sentiu humilhada. Pensou consigo mesma: “eu sou a missionária, ela que deveria arrancar e dar a macaxeira para mim”. Mas não tinha outra maneira, assim ela fez, abaixando e arrancando a macaxeira para ela e sua filha, visto que seu marido estava em outra aldeia.

    Vivemos num mundo egoísta, cada um por si, onde se usa muito as palavras, eu, meu, eu quero, eu mereço, eu posso.

    O que tem impedido de fazermos algumas coisas para Deus, para uma amiga, sogra, na igreja, a um vizinho? Será que estamos catando a arrogância – ato que atribui a si o direito, poder ou privilégio, ou soberba; sentimento de altivez, ou orgulho que nos leva a busca de reconhecimento das coisas que não merecemos – coisas estas que não agradam a Deus?

    Catar espigas é ter:

    Disposição para ir e não se envergonhar

    Perseverar no trabalho

    Não fugir dos compromissos

    Insistir no trabalho

    Ser forte em Cristo

    Ser corajoso em Cristo

    Ser vigilante em Cristo

    O que temos catado no dia a dia?

    Missionária Dilma Lopes

slidebg1