Artigo
CORAGEM PARA FUGIR
Jovem

CORAGEM PARA FUGIR

 

    Tempos difíceis, muito difíceis! Proféticos! Não há mais valores!  Onde a Ética e a Moral? A família está derruída! Casar para divorciar. Divorciar para casar. É visível   uma ação diabolicamente orquestrada da sem-vergonhice,  luxúria, lascívia, adultério, fornicação, sodomia e, como disse Paulo, “invenção de maldades”.

    Nas ruas - adolescentes, moças e mulheres – vestidas do jeito que o diabo gosta: decotes picantes; saias curtas e provocantes; shortinhos curtinhos; calças bem abaixo do umbigo com o propósito de defraudar. É a moda do inferno: “levantar em baixo e abaixar em cima”. É  o cumprimento profético: ...porque cometem abominação sem sentir por isso vergonha; nem sabem que cousa é envergonhar-se. Portanto cairão com os que caem (Jr 6:15). Sim, perderam a vergonha! E a igreja, é claro, sofre diante deste quadro!

    Sofre por andar na contramão do mundo. A igreja prega a pureza devida a Cristo. A  pós-modernidade elimina preceitos. Para “ganhar almas” o mundo evangélico aderiu a um novo evangelho. O do caminho fácil e sem cruz! Um “Deus que compreende” se a moçada “derrapar” - afinal, dizem os tais, os tempos são outros!

    Nossos jovens são bombardeados pela mídia com apelos ao sexo livre. Adultos também. Diante de tanta apelação, as  águas furtadas se mostram  doce e o pão comido às ocultas, agradável”(Pv. 9:27). Cuidado, o diabo sabe que é uma área  pela qual derruba a muitos. Paulo apóstolo exortou: Aquele, pois, que cuida estar em pé, cuidado, veja que não caia (I Co. 10:12).

    Faço uma pergunta à reflexão dos nossos jovens:  “E aí, como está a pureza”? A falta de comprometimento com Deus e sua Palavra, tem levado muitos à queda diante destas malignas iguarias do mundo! Não resistem às lisonjas dos lábios sedutores (Pv 7:21). Cederam aos acenos da “estranha” e amargaram a queda. Quantas moças, por alguns minutos de sexo errado, perderam a bênção do “véu e grinalda”. Algumas tentaram “encobrir” o erro e o pecado as encontrou. Moços amargando o que Davi amargou: o meu pecado está sempre diante de mim.   Sim, há perdão. A misericórdia é alcançada quando há confissão e abandono do pecado (Pv 28:13)!

    Atualmente são muitos os casos de disciplina. Clamamos por avivamento. Que  pecados ocultos sejam revelados! Está escrito: tirai a imundícia de vosso meio (2 Cr. 29:5).

     A senda da santificação e do avivamento exige purificação. Nada de inchação. Pedro deu a receita do crescimento dizendo: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2 Pd 3:18). Deste crescimento vem os dividendos às igrejas que decidiram “permanecer na contramão do mundo”.

    Sofre por ver os fundamentos abalados. Sou do tempo em que casamento era para durar “até que a morte os separe”. Para namorar a moça era preciso enfrentar o pai, pedindo consentimento. Quando se conseguia isso, tinha a mãe ou alguém da família “olhando de viés” ou  por “sobre as lentes”. Demorava pegar na mão da namorada!   Havia os despertadores ou relógios cucos que não perdoavam. O da  minha sogra, era um cuco implacável. Fazia uma zoada doida. Aí eu ouvia o irônico “Infantinho, Boa Noite!” Não passava das 22 h. Hoje, nova moralidade, os “namorados” dormem juntos. Até mudaram a expressão para “namorido e namorôsa”. O fundamento do namoro  foi abalado. O diabo  criou  o “ficar com” sem responsabilidade. Surge a geração oriunda de mães solteiras. Catastrófico.

    E o que falar da TV com suas  novelas putrefatas!? Programação (maioria) medíocre e maligna. Quase tudo girando em torno do sexo irresponsável. Apregoando  romance entre sexos iguais. Mulher “amando mulher” e “homem amando homem”! Um acinte a Deus. A Bíblia diz: ...macho e fêmea os criou  (Gn 1:27). Não se pode discriminar, dizem. Não discriminamos. Condenamos o pecado. Chamam a isso de homofobia. Ora, não serão eles cristofóbicos?

    Sim, a igreja do Senhor sofre com a rebelião do mundo contra os fundamentos divinos. O que fazer diante do quadro feio do mundo? Obedecer a Deus, somente! Não aceitamos “nova moralidade”. É demoníaca. Ficamos com a moralidade bíblica. E para preservá-la é preciso coragem para fugir. José foi poderosamente abençoado porque teve coragem para fugir da “Potifara”. Daniel e seus amigos marcaram poderosamente a Babilônia porque fugiram das “iguarias do reino”. Deus os honrou sobremaneira!   Não se pode dizer o mesmo de Sansão. Sucumbiu nos “joelhos de Dalila”. Morreu como espetáculo aos incircuncisos com quem conviveu.

    Sim, os tempos são difíceis! O demônio do sexo irresponsável está à solta.  Quantos estragos! Salomão, que teve tudo para ter um final de vida venturoso, mas teve o coração pervertido pelas mulheres, encerrou o Eclesiastes dizendo: De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más (Ec 12:13,14).

    É tempo de juízo. A “palha voará”, não resistirá. Os “grãos”(salvos), todavia, ficarão, pois tiveram coragem para fugir da prostituição, adultério, fornicação e tudo o mais que foi colocado nas bandejas recheadas dos manjares “babilônicos”! Se já caiu e voltou arrependido, amém! ... pois “as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo”. Fugir é preciso! É bíblico! É amor, coragem e lealdade a Cristo!  Pr. José Infante Jr.



Pr. José Infante Jr.
 


© 2015 CBBN | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. DESENVOLVIDO POR INOVA.